Os seres humanos são alvos fáceis para as artimanhas de satanás. Nós gostamos de traçar linhas de definição claras. Temos tendência para ver a preto e branco, preferindo pensar que satanás é obviamente mau, que não nos pode enganar. Como resultado, ele vai conseguindo tudo quanto deseja e nós continuamos ditosamente a pensar que tudo quanto é bom não pode ser aproveitado pelo diabo.

A Palavra de Deus corrige esta ideia. II Coríntios 11:14-15 diz: "O próprio satanás se transfigura em anjo de luz. Não admira que os seus ministros se façam passar por anjos de luz." Isto significa que satanás pode usar o que parece bom para concretizar o seu plano maligno.

O ocultismo não é o único meio pelo qual as forças demoníacas podem enredar as pessoas na teia do diabo. De facto, satanás pode, funcionar ainda com mais eficácia numa igreja de crentes do que no meio de uma assembleia de bruxas.

O principal laço de satanás, aquele que destrói mais vida do que com astrologia, a feitiçaria, a necromancia e todas as actividades do oculto combinadas, é o mundanismo (preocupações com prazeres materiais).

Mundanismo? Sim, a Escritura chama a satanás "O deus deste século" (II Coríntios 4:4). Jesus referiu-se a ele em três ocasiões como: "O príncipe deste mundo" (João 12:31; 14:30; 16:11): Paulo chamou-lhe "O príncipe do poder do ar" (Efésios 2:2) E satanás reina mesmo sobre o mundo e sobre a Mundialidade – amor ao mundo. É a mais subtil, a mais prejudicial e, contudo a forma mais vulgar de satanismo.

O mundanismo é satânico

Uma ideia generalizada é que satanás é o rei do inferno, em oposição a Cristo, que é o Rei do Céu. Esta é uma deturpação da verdade, uma teoria totalmente falsa; satanás é sim, o inimigo de Deus e não o rival de Deus. O seu reino não é o inferno mas o mundo onde vivemos.

A frase o "deus deste mundo" é cheia de significando. Mostra que o reino de satanás não é limitado aos anjos que o seguem. A sua autoridade inclui certamente os demónios mas vai mais além e inclui o mundo.

O termo mundo (Kosmo em grego), significa o "sistema sob o qual este mundo opera". Inclui todas as coisas seculares e temporais – os governos e as modas, a cultura, a educação, as filosofias, as religiões e a moralidade (ou a falta dela) neste mundo. Todas estas coisas são mundanas e podem ou não estar ligadas intimamente a forças malignas.

O mundo pertence a satanás

A tentação de satanás a Cristo inclui as coisas do mundo. Lucas 4:5,5 descreve este incidente.

Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo.

E disse-lhe: Dar-te-ei toda a autoridade e glória destes reinos, porque me foi entregue, e a dou a quem eu quiser;

se tu, me adorares, será toda tua.

Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.

É significativa que a resposta de Jesus não tenha negado a satanás o direito de controlar os reinos do mundo mas apenas o direito de receber adoração. A oferta de satanás era possível, ele de facto controlava os reinos deste mundo e podia legitimamente, oferece-los a quem o desejasse.

Em contrapartida Jesus disse: "O meu reino não é deste mundo." (João 18:36)

Dos crentes Ele disse: "eles não são do mundo, tal como Eu não sou do mundo" (João 17:14). E Ele disse aos Seus seguidores: "No mundo tereis aflições (João 16:33).

A palavra para "mundo" em todos estes versículos é "Kosmos", o reino sobre qual satanás tem controle. O mundo é um reino de trevas. Jesus disse: "Eu venho trazer luz ao mundo" (João 12:46). E orou ao Pai: "O mundo não te conhece". Pedro escreveu-nos sobre a "corrupção que está no mundo (II Pedro 1:4) e as "corrupções do mundo" (II Pedro 2:20) desta forma satanás usa o sistema deste mundo para fazer avançar os seus projectos e , em II Coríntios 4:4, o versículo que o designa como "o deus deste mundo o versículo que o designa como "o deus deste mundo" diz que ele "cegou o espírito daqueles que não crêem, para que a luz Gloriosa de Cristo…. Os ilumine." Por isso João escreveu:

Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. I Jo 2:15-16

Próximo do final da epístola, João acrescenta: "Nós sabemos que somos de Deus e que todo o mundo jaz no maligno. É uma afirmação de que satanás, ele próprio, controla o sistema do mundo.

Como satanás conseguiu o seu reino.

Antes da queda, satanás era detentor de uma posição de extrema autoridade. Quando Deus criou Adão e Eva fê-lo com intenção do homem poder "encher a terra com abundância e conquista-la, ter domínio sobre todos os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todas as coisas vivas que se movem na face da terra. (Génesis 1:28). Deus fez o homem para governar este mundo, porém satanás teve inveja da condição do homem e desejou-o para si próprio.

A história da tentação e queda do homem é bem conhecida. Usou todos os meios válidos ao seu alcance: luxúria da carne, dos olhos. A soberba (orgulho, arrogância) da vida para levar Eva a pecar. Esses três elementos do mundo motivaram a Eva.

Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu. – Génesis 3:6

As palavras de satanás para Eva têm uma grande semelhança com as suas próprias palavras, quando ele próprio pecou. Lembre-se do que ele queria: "Serei semelhante ao Altíssimo" (Isaías 14:14). Ele disse a Eva; "Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal" (Génesis 3:5). Era um misto de verdade e mentira. Os seus olhos foram abertos para poderem ver o bem e o mal, mas isso não os tornou como Deus, tornando-os mais como o diabo.

Obedecendo a satanás e desobedecendo a Deus, abdicaram da sua posição de domínio sobre o mundo em submissão a satanás.

A sua escolha de comer o fruto proibido foi uma subjugação deliberada dos seus desejos a satanás. Foi assim que este ganhou controlo sobre a terra. Desde esse dia que ele tem assumido controlo dos "Kosmos".

Aparentemente satanás retém um a grande parte do seu poder e autoridade que possuía antes da queda. O versículo 9 do livro de Judas conta o episódio em que o arcanjo Miguel disputou com satanás o corpo de Moisés. O arcanjo Miguel não o censurou de ânimo leve, antes disse: "O Senhor te repreenda".

É satanás que dita as políticas, as filosofias e os objectivos deste mundo. Por isso Tiago escreveu: "Não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer q quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus". (Tiago 4:4)

O mundo é inteiramente maligno

Tudo no "Kosmos" funciona para o mal, apesar de aí existirem muitas coisas boas. As coisas mundanas tais como a arte e a música seculares não são essencialmente malignas, o governo, por si, não é perverso, nem muitos dos ideais e da moral do sistema do mundo. Mas, como partes integrantes do reino de satanás e do sistema deste mundo, essas coisas estão unidas por um princípio de maldade comum – o da separação de Deus e, conjuntamente trabalham para esse único propósito diabólico.

O vasto reino de satanás inclui não só tudo o que está no mundo mas também o reino dos espíritos malignos, a que Paulo chamou de "hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais" (Efésios 6:12). Este mundo não é a sua particular esfera de acção onde procura intervir nos assuntos dos homens para favorecer a sua rebelião contra Deus.

Tal como o próprio satanás, o seu reino e o seu mundo operam numa filosofia totalmente centrada em si. Rejeitam a autoridade de Deus, a Palavra de Deus e, finalmente, a graça de Deus.

De facto, Jesus indicou que uma das características distintas do mundo, é que o mundo O rejeitou. A Sua mensagem aos discípulos na noite em que foi traído continha estas palavras:

Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim.

Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.

Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, guardarão também a vossa. (João 15:18-20)

João repetiu o mesmo quando escreveu o mesmo: "Não vos maravilheis se o mundo vos aborrece." (I João 3:13). Paulo escreveu aos Romanos: "E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento." (Romanos 12:2) Um cristão que abrace as filosofias e os ideais deste mundo comete um erro trágico pois está ele próprio a comprometer-se com o sistema que crucificou o Senhor Jesus.

Dois reinos opostos

A escolha definitiva que cada pessoa tem que fazer é entre dois reinos opostos: O Reino da Luz e o reino das trevas; O Reino de Deus e o reino de satanás; o Reino do Paraíso e o reino deste mundo. O primeiro baseia-se numa filosofia de sacrifício, serviço e submissa; o segundo na filosofia do egoísmo, cobiça e orgulho.

Um Reino oferece a vida eterna, o outro uma lugar permanente no lago de fogo preparado para o diabo e os seus anjos.

Um Reino é eterno, espiritual e puro, o outro é temporal, materialista e maligno.

O reino de Deus é tão activo e vivo neste terra como o de satanás, apesar de parecer não ser tão visível. ToDavida, é certo que resplandecerá vitorioso.

Lembre-se de algo muito importante: satanás não é o rival de Deus. Deus está no comando. Deus irá julgar e destruir todo o poder de satanás. Tenha a certeza de estar enquadrado no reino certo.

Dr. Lester Sammural

 

Portal Gospel        © 2002- 2006  Página actualizada em 07-08-2006

[ Início  ]  [ Mapa do Site ]  [ Fale connosco ]  [ Procurar ]