CEMENTAÇÃO - A cementação gasosa é um tratamento termoquímico e, consiste, em "carbonizar" a camada superficial da peça. 

 Para isso ela é envolvida num "cemento", neste caso, gasoso, e aquecida durante um certo tempo a uma determinada temperatura. A temperatura permite a transferência dos átomos de carbono para a superfície da peça, que é processada por reacções químicas.  Dá-se ainda a difusão do carbono para o interior da peça, que consiste, portanto, numa migração dos átomos de carbono. A peça "carbonizada", na superfície, é temperada a partir da temperatura prescrita, ficando a camada cementada com dureza elevada, enquanto que o núcleo, cuja composição se mantem, conserva a sua tenacidade e praticamente não sofre qualquer aumento de dureza. O teor em carbono diminui progressivamente da periferia para o interior da camada cementada.  Fala-se por isso, na profundidade de cementação, que é normalmente considerada como a distância da superfície até ao ponto em que o teor de carbono da camada cementada desce ao mínimo de 0,40%.  Este ponto corresponde à obtenção de uma dureza de 55 a 60 HRC ou  mais, e a camada pode ir até 2 mm de profundidade. Depois deste tratamento, não poderá haver qualquer operação de maquinagem, com excepção da Rectificação, para que a camada superficial não seja retirada. A Cementação que efectuamos tem a qualidade da Atmosfera Controlada e produz uma carbonização bastante regular e de boa qualidade, profundidade e dureza.

                Figura:  Proveto partido para revelar a profundidade da cementação (+-1 mm camada cinzenta no perímetro)          

                                                                                      - Clique na imagem para ver em pormenor